09 janeiro 2013

[Resenha] A Batalha do Apocalipse - Eduardo Spohr

Título original: A Batalha do Apocalipse
Autor: Eduardo Spohr
Minha edição: Verus

"Há muitos e muitos anos, tantos quanto o número de estrelas no céu, o paraíso celeste foi palco de um terrível levante. Um grupo de anjos guerreiros, amantes da justiça e da liberdade, desafiou a tirania dos poderosos arcanjos, levantando armas contra seus opressores. Expulsos, os renegados foram forçados ao exílio e condenados a vagar pelo mundo dos homens até o Dia do Juízo Final.

Mas eis que chega o momento do Apocalipse, o tempo do ajuste de contas. Único sobrevivente do expurgo, Ablon, o líder dos renegados, é convidado por Lúcifer, o Arcanjo Negro, a se juntar às suas legiões na Batalha do Armagedon, o embate final entre o céu e o inferno, a guerra que decidirá não só o destino do mundo, mas o futuro da humanidade.

Das ruínas da Babilônia ao esplendor do Império Romano, das vastas planícies da China aos gelados castelos da Inglaterra medieval, A Batalha do Apocalipse não é apenas uma viagem pela história humana – é também uma jornada de conhecimento, um épico empolgante, repleto de lutas heroicas, magia, romance e suspense.”

Quem me presenteou com esse livro foi o Jaírlos, meu amigo de Fortaleza que admiro muito e que vem se tornando uma pessoa muito importante em minha história como pessoa. Foi o primeiro livro que ganhei desse tão admirável amigo e eu poderia dizer que é simplesmente um dos melhores livros que já li na minha vida e já é um dos meus favoritos. Sou totalmente fascinado por livros que abordam religião e mitologia, não é a toa que meu autor favorito é Dan Brown.

A Batalha do Apocalipse é um livro completo, repleto de magia, romance, ação e, principalmente, suspense. Afinal, a dúvida sempre existiu: como e quando será o Apocalipse? Para onde vamos? Leia o livro e saberá! Temos que admitir, o tamanho do livro assusta um pouco. Mas conforme você vai lendo percebe que o vocabulário é simples, de fácil entendimento e que não há palavras tão complicadas. Somente os nomes que são um pouco ruins de decorar, mas quanto a isso temos um glossário no final do livro que é muito útil. 

Uma das coisas que mais gostei é o fato de Eduardo Spohr usar de flashbacks para contar a história de Ablon, o Anjo Renegado, durante todo o livro. Isso só faz aumentar a expectativa em relação a batalha final entre o exército do Arcanjo Miguel e o os Rebeldes. É tanta expectativa que dá vontade de pular todos os flashbacks e ir direto para o final, mas é super importante ler tudinho não só para entender toda a história e os fatos que resultaram no Apocalipse, como também aprender muito mais sobre toda a história dos Anjos, Arcanjos e, sim, dos Demônios. Spohr sintetizou e explicou no livro, dentre muitas coisas,  da queda dos anjos ao nascimento do Salvador, a criação do Universo e o papel dos Arcanjos na luta entre o deus Yahweh e a deusa Tehom e até mesmo narra a destruição de Sodoma e Gomorra.

A Batalha do Apocalipse é um livro completo e muito bem escrito e, o melhor de tudo, é um livro nacional. Confesso que fiquei surpreso ao saber disso. Eu jurava que esse livro era estrangeiro não só pela capa que é muito bem feita (não que as capas de livros brasileiros sejam ruins, longe disso), como também pelo nome do autor que é bem diferente do “Ferreira” e do “Silva” que conhecemos (meu sobrenome é Ferreira). De uma coisa eu tenho certeza: passei a respeitar muito mais a cultura e o potencial brasileiro depois deste livro. Acredito que escritores como o Eduardo abrem o caminho para ótimos escritores de ficção no Brasil e despertam cada vez mais o hábito da leitura entre as crianças, jovem e adultos brasileiros. Isso é muito bom.

Eduardo Spohr nasceu em junho de 1976, no Rio de Janeiro. Filho de um piloto de aviões e de uma comissária de bordo, teve a oportunidade de viajar pelo mundo. A paixão pela literatura e o fascínio pelo estudo da história o levaram a cursar comunicação social. Começou a trabalhar em agências de publicidade, mas acabou migrando para o jornalismo. Formou-se pela PUC-Rio em 2001 e se especializou em mídias digitais. Trabalhou como repórter, como analista de conteúdo e depois como editor de um portal de notícias. Hoje, além de criar projetos gráficos, é consultor de roteiro e ministra aulas nas Faculdades Hélio Alonso (Facha), do Rio de Janeiro.

3 comentários:

  1. "A Batalha do Apocalipse" está nas minha possíveis leituras para o próximo mês, eu adoro a mitologia e seres sobrenaturais. Ele é realmente bem grosso mas estou acostumada com muitas páginas. Gosto especialmente de livros que 'falam' sobre o apocalipse e anjos e demônios, não sei por que.
    Adorei a resenha, estou mais tentada e ler ele, quem sabe depois de "Angelologia"
    Beijos
    Ingrid - Livros & Tal

    ResponderExcluir
  2. Esse livro é realmente maravilhoso e, sinceramente, o melhor que já li. Você já leu Filhos do Éden?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sara!

      A Batalha do Apocalipse é simplesmente perfeito! Muito bem escrito e desenvolvido, eu amei demais. Ainda não li o Filhos do Éden, mas está na minha lista de leitura deste ano e anseio muito por lê-lo!

      Obrigado pela visita e pelo comentário!
      Beijos.

      Excluir

Sinta-se livre para comentar o que quiser, mas use com moderação.