24 fevereiro 2013

[Resenha] Até Mais, e Obrigado pelos Peixes! - Douglas Adams

Título original: So Long, and Thanks For All the Fish
Autor: Douglas Adams
Minha edição: Arqueiro

"Depois de viajar pelo Universo, ver o aniquilamento da Terra, participar de guerras interestelares e conhecer as mais extraordinárias criaturas, Arthur está de volta ao seu planeta. Tudo parece igual, mas ele descobre que algo muito estranho aconteceu na sua ausência. Curioso com o fato e apaixonado por uma garota tão estranha quanto o que quer que tenha acontecido, ele parte em busca de uma explicação.

Com sua peculiar ironia e seu talento aparentemente inesgotável para inventar personagens e histórias hilariantes – embora altamente filosóficas –, Douglas Adams nos presenteia com mais uma genial obra capaz de nos fazer refletir sobre o sentido da vida de uma forma bem diferente da habitual.

Intercalando momentos cômicos com imagens e descrições altamente poéticas, Até mais, e obrigado pelos peixes! fecha com chave de ouro essa "trilogia de quatro livros" que já levou os leitores a conhecerem situações altamente improváveis e a viver momentos de reflexão e de pura diversão."

Até mais, e Obrigado pelos Peixes! é o quarto livro da série O Mochileiro das Galáxias, o mais diferente de todos e o menos engraçado. Não que tenha sido um livro ruim, mas está bem abaixo de todos os outros da série. Para mim, Adams procurou dar um rumo diferente a história e criou um romance bastante divertido (sim, um romance com direito a momentos íntimos e tudo o mais).

Após muitos anos vagando pelo universo, Arthur finalmente está de volta a Terra. Sim, o planeta que fora destruído pelos vogons voltou a existir, mas ninguém sabe como. Dessa vez, Arthur está de volta a seu planeta natal como um mochileiro e, ao descobrir que realmente se tratava da Terra, da sua Terra, fica tão feliz que só pensa em viver sua vida e ser uma pessoa feliz em seu planeta "praticamente inofensivo".

Entretanto, há alguma coisa errada com a Terra. Todos os golfinhos desapareceram misteriosamente e o governo informou as pessoas de que a CIA estava testando armas químicas e que a possível destruição da Terra não passou de alucinações. Há outras pessoas que sabem que a Terra havia sido desintegrada sob seus pés: Fenchurch, ou Fenny, uma estranha humana pelo qual Arthur se apaixona perdidamente, e Wonko, o São, um cientista que estudava golfinhos até eles desaparecerem. Fenny, Arthur e Wonko têm mais algo em comum: um aquário com uma estranha mensagem gravada “Até mais, e obrigado pelos peixes!”. Juntos, eles buscam uma resposta para a demolição e o ressurgimento da Terra.

Enquanto isso, Ford descobre que o antigo verbete sobre a Terra no O Guia do Mochileiro das Galáxias foi atualizado de “praticamente inofensiva” para um extenso artigo contendo detalhes de como se dar bem na Terra, melhores restaurante e até mesmo as praias mais bonitas, ou seja, os seus quinze anos infiltrado na Terra valeram a pena. E então Ford segue para sua próxima aventura e fim, só isso é citado dele no livro.

Diferente dos outros livros da série, temos uma carência de viagens interplanetárias, naves e tudo que há de mais estranho no universo. O romance entre Arthut e Fenny é o foco da história, que não deixa de ser tão divertida e emocionante.

A pergunta que não quer calar: e onde estão Zaphod, Trilliam, Slartbartfast e o tão aclamado e amado Marvin? Com exceção do robô melancólico, todos os outros personagens estão de fora da trama. E para a infelicidade de todos os Mochileiros, ainda contamos com a perda de um personagem muito importante para a série.

O que me parece é que Adams já havia chegando a um ponto em que tinha de publicar algo apenas para satisfazer os fãs e não como parte do seu fluxo criativo. Tenho esperanças de o último livro ser o melhor.
"Os que querem respostas devem continuar lendo. Outros podem preferir pular direto para o último capítulo, que é bem legal e é onde aparece o Marvin." (Pág. 140)
Douglas Noël Adams nasceu em Cambridge, Inglaterra, em 1952. Formou-se em literatura inglesa pela Universidade de Cambridge. Ao lado de Simon Brett, produziu um programa humorístico sobre ficção-científica para o rádio, era o início de "O Guia do Mochileiro das Galáxias". A série radiofônica foi transmitida pela primeira vez em 1978 e em 1979, muito modificada e amplificada, foi publicada. Treze anos separam o primeiro e o último volume da série que conquistou milhares de fãs em todo o mundo. Adams faleceu aos 49 anos de idade, vítima de um ataque cardíaco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para comentar o que quiser, mas use com moderação.