02 abril 2013

[Resenha] Eu Sou o Número Quatro - Pittacus Lore

Título original: I Am Number Four
Autor: Pittacus Lore (James Frey e Jobie Hughes)
Minha edição: Intrínseca

"Nove de nós vieram para cá. Somos parecidos com vocês. Falamos como vocês. Vivemos entre vocês. Mas não somos vocês. Temos poderes que vocês apenas sonham ter. Somos mais fortes e mais rápidos que qualquer coisa que já viram. Somos os super-heróis que vocês idolatram nos filmes e nos quadrinhos — mas somos reais.

Nosso plano era crescer, treinar, ser mais poderosos e nos tornar apenas um, e então combatê-los. Mas eles nos encontraram antes. E começaram a nos caçar. Agora, todos nós estamos fugindo.

O Número Um foi capturado na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Eu sou o Número Quatro. Eu sou o próximo."

Eu meio que fui obrigado a ler este livro. Minha amiga Luana, fanática por ficção e por garotos bonitos em capas de livros, foi quem iniciou o vicio do grupo. Então foi a vez do Leandro (mais conhecido como Menino do Inferno) que leu e me convenceu a ler depois de tantos "você tem que ler, é muito bom!". Sucumbi aos desejos dos meus adoráveis amigos e li o livro. Resultado: viciei na série. Li o primeiro livro com certa relutância, mas fui me envolvendo e gostando cada vez mais... até chegar ao ponto de amar!

Eu Sou o Número Quatro é o primeiro livro da série Os Legados de Lorien e conta a história das nove crianças lorienas que conseguiram fugir de seu planeta, Lorien, em busca de abrigo na Terra. O motivo da fuga é que Lorien foi invadido e destruído pelos mogadorianos, uma especie nativa do planeta Mogadore que invade outros planetas em busca de um lugar para morar. Assim, as nove crianças e seus  protetores (chamados de Cêpam) embarcam para uma longa viagem até o planeta habitado mais próximo, a Terra. Aqui, eles poderão desenvolver seus poderes (chamados de Garde) e terão a chance de confrontar os mogadorianos e repovoar seu planeta natal. Os nove tornaram-se a última esperança para Lorien e não podem falhar.

Entretanto, antes de deixarem o planeta, Pittacus Lore, um dos grandes anciões, lançou um encantamento de proteção sobre as nove crianças lorienas. Cada um deles recebeu um número e só podem ser mortos nessa sequência. Ou seja, o número seis não pode morrer enquanto os cinco primeiros estiverem vivos. Mas o feitiço apenas funciona se eles estiverem separados. A sobrevivência na Terra fica ainda mais difícil depois que os mogadorianos descobrem o planeta de fuga dos lorienos e viajam no afã de destruir o que restou de Lorien.

O número Um foi capturado e morto na Malásia, o Dois, na Inglaterra e o Três, no Quênia. Chegou a vez do número Quatro, que é o foco do primeiro livro. Quatro e Henri, seu Cêpan, mudam de cidade e de identidade a todo momento. Assim que a terceira marca aparece no tornozelo do número Quatro, indicando que o número Três havia morrido, Cêpan e protegido viajam mais uma vez. Agora, o número Quatro se chama John Smith e eles passam a viver em Paradise, uma pequena cidade de Ohio. John começa a frequentar uma nova escola, onde conhece os típicos personagens da ficção norte-americana: o jogador de futebol e valentão Mark, o nerd fissurado em seres de outro planeta Sam e a graciosa garota que ama fotografar Sarah. 

John busca uma vida normal aqui na Terra, onde possa aproveitar o amor que surge entre ele e Sarah. Ao mesmo tempo, ele precisa desenvolver seus poderes para defender a si mesmo e seus amigos dos mogadorianos. John se vê entre o medo de ser encontrado pelos mogadorianos e o anseio de reencontrar seus amigos de Lorien.

Sobre o pseudônimo de Pittacus Lore, James Frey e Jobie Hughes escreveram toda a trama mesclando seus conhecimentos e ideias. Algo que começou como uma brincadeira e que acabou dando certo, mas em certo ponto é possível perceber a mudança de escrita. Alguns capítulos têm mais gírias e falas e outros apresentam uma escrita um pouco mais formal. Apesar disso, não há nenhum tipo de impedimento na leitura. Pelo contrario, ela flui de uma forma tão prazerosa que você não consegue mais parar de ler. Um livro mais do que recomendado para quem gosta de conspirações extraterrestres, ficção cientifica e muita, mas muita, aventura. Recomendadíssimo.

James Christopher Frey nasceu em 1969 e é um escritor americano. É o autor do escandaloso livro de memórias "The Million Little Pieces" que contém os principais elementos da trama inventados pelo autor. Jobie Hughes nasceu em 1980 e é um escritor americano. Foi campeão estadual de wrestling (um tipo de luta) e é formado em Escrita Criativa pela Universidade de Ohio. Juntos, criaram a série Os Legados de Lorien sobre o pseudônimo de Pitacus Lore.

2 comentários:

  1. Livro realmente muito bom.. Confeso que comecei a ler ele dps de assistir ao filme, que me deixou muito curiosa pra saber mais detalhes q só os livros nós mostram. Comecei a ler sem muita expectativa, mas com o tempo, a história foi correndo, e antes msm q eu percebesse, acabou o livro! kkk'

    Beijooo's
    meumundo-aqui.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente conheci a série pelo filme e não pelos livros! kkkk Normalmente gosto de ler os livros primeiro. Mas amei não só a série, como também curti demais a adaptação pro cinema (mesmo que tenha tido muitas alterações). E sim... a mescla de gírias com partes mais formais foi o que mais me agradou durante a leitura. Você já leu os outros também?

    Abraços!
    http://chubbleeeu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Sinta-se livre para comentar o que quiser, mas use com moderação.