27 maio 2013

[Resenha] Morte Súbita - J. K. Rowling

Título original: The Casual Vacancy
Autor: J. K. Rowling
Minha edição: Nova Fronteira

"Quando Barry FairBrother morre inesperadamente aos quarenta e poucos anos, a pequena cidade de Pagford fica em estado de choque.

A aparência idílica do vilarejo, com uma praça de paralelepípedos e uma antiga abadia, esconde uma guerra. Ricos em guerra com os pobres, adolescentes em guerra com seus pais, esposas em guerra com os maridos, professores em guerra com os alunos… Pagford não é o que parece ser à primeira vista.

A vaga deixada por Barry no conselho da paróquia logo se torna o catalisador para a maior guerra já vivida pelo vilarejo. Quem triunfará em uma eleição repleta de paixão, ambivalência e revelações inesperadas? Com muito humor negro, instigante e constantemente surpreendente, Morte Súbita é o primeiro livro para adultos de J.K. Rowling, autora de mais de 450 milhões de exemplares vendidos."

Acho que primeira vez não sei o que dizer sobre um livro. Li tantas críticas boas e ruins e respeito de Morte Súbita e isso só fez aumentar a minha curiosidade a respeito do mesmo. Posso dizer que não foi uma leitura fácil e muito menos rápida. Com mais de 500 páginas, Morte Súbita se tornou um dos maiores e mais demorados livros que já li. 

Com a inesperada morte de Barry FairBrother, abre-se uma vaga, tecnicamente chamada de vacância, no conselho da pequena e pouco amistosa Pagford. Inicia-se, então, uma disputada pelo cargo, o que acaba se tornando uma verdadeira guerra entre os dois lados do conselho. No meio dessa guerra encontra-se Fields, um bairro que fora incorporado as terras de Pagford, e todos os seus problemas sociais (incluem-se drogados, prostitutas, desempregados e por aí vai). Parte do conselho quer que o bairro torne-se parte de Yarvil, a cidade vizinha, e o restante quer que Fields continue sendo administrando e mantido por Pagford e que a clínica de reabilitação para viciados em drogas, chamada Bellchapel, continue de portas abertas.

Em meio a essa guerra, vamos descobrindo mais sobre cada um dos personagens, seus pensamentos, ideais e desejos. O interessante do livro é que as consequências das ações tomadas pelos personagens são retratadas de diferentes pontos de vista, assim podemos descobrir como os personagens se sentiram ou o que pensaram de tais ações. Todos os personagens têm alguma relação entre si e fiquei absolutamente admirado com a engenhosidade de Rowling nessa questão. Ainda estou tentando entender e imaginar a loucura que tenha sido escrever este livro.

Estranhei bastante o modo como o livro foi escrito por ser algo bem mais chulo, uma linguagem mais pobre. Por diversas vezes o uso constante de palavrões e palavras de baixo calão pareceu-me algo forçado, mas isso não é algo que tenho empobrecido o livro. Sinto que J. K. Rowling queria impressionar seus leitores, criando algo totalmente diferente do que já tenha escrito. Ao mesmo tempo, ela quis tocar em assuntos bastante polêmicos e criticar a sociedade em que vivemos. Basicamente, Morte Súbita é um livro extremamente politico. Isso resume tudo.

Eu não posso dizer que recomendo o livro para todos, já que a trama necessita de bastante concentração, dedicação e esforço para ser lida. Acho que o importante é saber que Morte Súbita tornou-se o modo que J. K. Rowling encontrou de dizer que não escreve apenas para jovens, mas que seu talento é nato e sua imaginação é extremamente fértil. Eu só tenho a dizer que o final do livro é, acima de tudo, surpreendente e que foi o bastante para me fazer adorar o livro.

Joanne Rowling nasceu em Yate, Inglaterra. Formou-se na Universidade de Exeter, no sudoeste da Inglaterra. É uma escritora britânica de ficção, autora dos sete livros da famosa e premiada série Harry Potter. Sua obra já vendeu mais de 450 milhões de cópias pelo mundo todo, tornando-a a autora que mais vendeu na história. Rowling é casada e possui 3 filhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se livre para comentar o que quiser, mas use com moderação.