02 junho 2013

[Resenha] Alice no País das Maravilhas - Lewis Carrol

Título original: Alice in Wonderland
Autor: Lewis Carrol (Charles Lutwidge Dodgson)
Minha edição: Martin Claret

"Ao seguir um coelho apressado, Alice cai num buraco que, mais tarde, ela descobrirá ser uma passagem para o País das Maravilhas. Tudo fica esquisito desde então: Alice conhece um gato muito diferente, uma lagarta sábia, um chapeleiro maluco, entre outros personagens que a introduzem em uma realidade complexa e enigmática.

De Lewis Carrol, Alice no País das Maravilhas é um livro repleto de fantasias oníricas e lúdicas, que provocam o leitor e ocultam questionamentos de todo o tipo: lógicos, semânticos, políticos e psicológicos.

Não é apenas uma leitura para crianças, mas uma viagem ao mundo do subconsciente que pode ser travada também por adultos que não temam adentrar nas veredas nebulosas da mente."

Apesar da grande fama, eu ainda não havia lido este fantástico livro. Eu já conhecia boa parte da trama e já vi dois ou três filmes que se baseiam na história, mas ainda faltava realmente ler o texto original. E qual é a minha conclusão? De que o livro é ainda mais doido do que todos adaptações para o cinema.

Tudo começa com o famoso Coelho Branco, apressado e sempre atrasado. Alice, uma menina aventureira e bastante criativa, o segue até a sua toca e voilá, a menina está no País das Maravilhas. Então todas as aventuras e loucuras começam. Conhecemos o famoso Gato de Cheshire, o Chapeleiro Maluco e também a Lagarta, sempre fumando seu Narguilé e dando conselhos bastante esquisitos. Acompanhamos Alice durante sua aventura, descobrindo seus sentimentos e pensamentos em relação aos acontecimentos e fatos que ocorrem. A leitura flui de uma forma linda e, sem percebemos, nos deparamos com o final do livro, tão doido quanto a trama em si. 

Alice no País das Maravilhas é uma leitura fácil, rápida e bastante prazerosa. O livro é pequeno e, como comprei uma versão de bolso, bem pratico. O que me encantou foram as ilustrações, os famosos desenhos de John Tenniel, que são bastante interessantes. Eles me ajudaram a formular a cena em minha mente e me deram uma base de como imaginar a Alice e todos os curiosos personagens.

Além de toda a curiosidade que tinha sobre o livro, meu intuito também era de ficar em dia com o Desafio Literário 2013. No mês de maio o tema do desafio era "livros que foram citadas em filmes". Alice no País das Maravilhas é citado no filme Fahrenheit 451, uma distopia bastante interessante.

Os quase cento e cinquenta anos de lançamento de Alice no País das Maravilhas fazem do livro uma leitura mais do que obrigatória. Além das divertidas aventuras da curiosa Alice, ainda contamos com diversos ensinamentos e críticas, que envolvem desde politica até linguas e culturas diferentes. Uma leitura mais do que válida.

Charles Lutwidge Dodgson, mais conhecido pelo seu pseudônimo Lewis Carroll, nasceu em Daresbury, Chesshire, Inglaterra, no ano de 1832. Se formou em Oxford e ali mesmo lecionou por 33 anos. É mundialmente famoso por ser o autor do clássico livro Alice no País das Maravilhas e os poemas presentes neste livro, além de outros poemas escritos em estilo nonsense ao longo de sua carreira literária. Carroll faleceu em Guildford, em janeiro de 1898.

Um comentário:

  1. Alice é leitura obrigatória para todos aqueles que gostam de literatura fantástica, psicodelismo e infanto-juvenil. É um dos lagos onde a maioria dos escritores de fantasia de hoje em dia bebem, já beberam ou, um dia, irão beber.
    Legal você ler literatura clássica infanto-juvenil, David! Procura por mais e posta resenhas do que ler por aqui. É sempre bacana ler resenhas de coisas diferentes, menos comuns do que a gente tá sempre encontrando em todo canto, pra se divertir.

    (http://mon-autre.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir

Sinta-se livre para comentar o que quiser, mas use com moderação.